Cultura

Livro demonstra a importância da Escola de Saúde para Castelo Branco

Diario Digital Castelo Branco | 2018-05-16 05:40:00

A importância da Escola de Enfermagem Dr. Lopes Dias para Castelo Branco e para a sua região foi destacada, no passado sábado, durante a apresentação do livro “Enfermagem em Portugal: Formação e Identidade Profissional - A Escola de Enfermagem Dr. Lopes Dias", da autoria do Professor Doutor Hélder Henriques.

A obra, com a chancela da RVJ Editores, "resulta de um prolongado estudo desenvolvido sobre a construção identitária dos enfermeiros em Portugal ao longo do século XX". A apresentação do livro começou com um momento musical a cargo dos docentes de ensino superior, José Raimundo, Custódio Castelo, Miguel Carvalhinho e Pedro Ladeira.

Ismael Martins, que durante cerca de duas décadas dirigiu a escola, sublinhou o papel e o espírito visionário de Lopes Dias, que numa cidade do interior ousou criar a escola.

Luís Alberto Marques Alves, professor associado da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, a quem coube apresentar a obra, recordou a "importância da escola para Castelo Branco, que foi agregadora e que trouxe até aqui muitos profissionais para melhorarem a sua qualificação. Por outro lado, a escola inicia aquilo que poderemos chamar de cientificidade da enfermagem".

Luís Correia, presidente da Câmara, aproveitou a ocasião para referenciar o papel importante dos enfermeiros na sociedade, destacando ainda aquilo que de bom representa a agora Escola Superior de Saúde, na formação de profissionais altamente qualificados, na captação de alunos para o Politécnico albicastrense, e para a fixação de quadros na região.

Hélder Henriques considera que "havia uma lacuna no âmbito da História da Educação e resolvemos partir para uma aventura que foi a análise, a reflexão e a discussão sobre esta atividade profissional. A singularidade desta obra, prende-se com o facto de estar ancorada num contexto educativo específico da cidade de Castelo Branco: a antiga Escola de Enfermagem, fundada no final da década de 40 do século XX, por José Lopes Dias. Esta instituição constituiu a principal arena de discussão do problema que colocamos".

Docente na Escola Superior de Educação de Portalegre e membro da Assembleia Municipal de Castelo Branco, Hélder Henriques apresenta neste seu trabalho de investigação "um conjunto muito diversificado de fontes de natureza legal, arquivísticas, iconográficas, imprensa, fontes orais, entre outras, associadas à escola Albicastrense e isso permitiu-nos extrapolar o nosso modelo de análise para a realidade nacional – até 1988".

Já para o editor, João Carrega, "esta obra é um marco importante para a história da região, em particular para o ensino superior e para uma profissão tão importante como a enfermagem. É um documento que integra muitos documentos e fontes e que vem realçar o papel que esta escola teve no nosso país, mas também a evolução que este tipo de ensino teve em Portugal, com a posterior integração destas escolas no ensino superior politécnico".


Publicidade
Meteorologia
Hoje
Amanhã
Noticias
Newsletter
Publicidade
Publicidade
© Diario Digital Castelo Branco 2018
Política de privacidade e cookies
Desenvolvido por citricweb.pt