Cultura

Sertã: Exposição revela máquinas de escrever de grandes escritores portugueses

Diario Digital Castelo Branco | 2018-10-11 05:56:00

Iniciativa decorre na Sertã, a partir do dia 13 de Outubro, e conta com as máquinas de autores como Fernando Pessoa, Alexandre O’Neill e Maria Gabriela Llansol. Promotores pretendem também organizar o primeiro encontro anual da Comunidade de Entusiastas das Máquinas de Escrever.

Todos conhecem os livros que nelas se escreveram e sabem facilmente identificar os autores que ali criaram as suas histórias. Mas as máquinas de escrever, onde nasceram muitos dos clássicos da literatura portuguesa do séc. XX, permanecem desconhecidas da maioria dos leitores.

Partindo desta premissa, a Câmara Municipal da Sertã e a Associação Cultural Mandriões no Vale Fértil promovem uma exposição, a inaugurar no dia 13 de Outubro, na Biblioteca Municipal Padre Manuel Antunes, com as máquinas de escrever de grandes escritores portugueses, designadamente Fernando Pessoa, Alexandre O’Neill, Fernando Assis Pacheco, Fernando Namora, José Cardoso Pires, Margarida Vale de Gato, Maria Gabriela Llansol, Almeida Faria, Ruben A., Manuel António Pina, Hélia Correia e Jaime Rocha.

A ideia desta iniciativa partiu do poeta Miguel-Manso, um dos dinamizadores da Associação Cultural Mandriões no Vale Fértil e entusiasta das máquinas de escrever. Mas o seu propósito não se esgota na exposição: “pretendemos recuperar a máquina de escrever para o contexto do século XXI”, sublinhou Miguel-Manso, anunciando a realização, na Sertã, do primeiro encontro anual da Comunidade de Entusiastas das Máquinas de Escrever.

A Câmara Municipal da Sertã “abraçou o projeto e acredita que o mesmo pode ser um importante estímulo para promover a cultura no nosso território, ao mesmo tempo que oferecemos a oportunidade única de conhecer as máquinas de escrever de grandes autores portugueses”, afirmou José Farinha Nunes, presidente da Câmara Municipal da Sertã, também ele um antigo utilizador deste instrumento.

Miguel-Manso acredita que “o uso da máquina de escrever, livre, hoje, dos constrangimentos da atividade profissional e da produtividade, é uma óptima ferramenta para fortalecer o discurso e a criatividade, em particular daqueles que constantemente se dispersam, vítimas dos infinitos estímulos digitais”.

A exposição das máquinas de escrever será inaugurada no próximo dia 13 de outubro, pelas 17 horas, na Biblioteca Municipal Padre Manuel Antunes, na Sertã. Além de um concerto de cravo, com Joana Bagulho, acompanhada por uma orquestra de máquinas de escrever, será exibido no Cine-Teatro Tasso, depois do jantar, o documentário “California Typewriter” (2016), de Doug Nichol, que conta com as participações de Tom Hanks, Sam Shepard e David McCullough. Esta exibição será complementada com algumas curtas-metragens dedicadas ao tema. Posteriormente e em data a definir, será apresentado o livro da exposição intitulado “Linguados”, com o selo da Associação Cultural Mandriões no Vale Fértil e da Câmara Municipal da Sertã, onde se incluem depoimentos, histórias, elogios, pequenas notas, contos e cartas de vários autores.

Durante a exposição, decorrerão diversas actividades relacionadas com o tema de escrita mecânica, nomeadamente a criação de uma «Zona de Rebentação», espaço onde o público poderá dactilografar em máquinas disponíveis para o efeito. Existirá também um posto de correio permanente sugerindo aos dactilógrafos a prática da epistolografia. Haverá visitas guiadas dirigidas às escolas e à comunidade em geral.

 


Publicidade
Meteorologia
Hoje
Amanhã
Noticias
Newsletter
Publicidade
Publicidade
© Diario Digital Castelo Branco 2018
Política de privacidade e cookies
Desenvolvido por citricweb.pt