Cultura

Idanha-a-Nova: BOOM festival lança documentário e livro sobre os seus 20 anos

Diario Digital Castelo Branco | 2018-11-13 05:56:00

Do momento em que começou como uma festa de amigos em 1997 numa floresta entre Setúbal e Alcácer do Sal, que procurava replicar em Portugal o movimento Goa trance, ao evento internacional multicultural e independente, que atrai de dois em dois anos a Idanha-a-Nova público de cerca de 150 nacionalidades.

O Boom Festival conta a história de 20 anos de existência no documentário “Boom Festival 20 Anos”, lançado nas suas plataformas de comunicação, e no livro "Boom Festival 20 years: A Visual and Oral History", uma edição de autor que poderá ser adquirida através do email info@boomfestival.org.

Dedicado a todos os Boomers, o documentário de cerca de 72 minutos, transforma 12 terabytes de material na história de 11 edições do evento, e de todos os projetos paralelos ao Boom, contada por quem lhe deu origem e participou nela.

O documentário “Boom Festival 20 Anos” resume não só a história raramente contada do evento, como de todos os projetos que emergiram da sua evolução ao longo do tempo. Os bastidores, a equipa, as dificuldades da organização de um festival desta dimensão ressaltam das entrevistas a 34 participantes e (principalmente) a membros das equipas que, ao longo de 20 anos, construíram o Boom Festival – o evento bienal de cultura independente que, desde 1997, se realiza na lua cheia de julho ou agosto, e que é uma referência internacional. Considerado pelo The Guardian como um dos 10 melhores festivais na Europa em 2016 e pela Rolling Stone como um dos principais sete festivais transformacionais do mundo, o Boom é hoje um evento multidisciplinar, transgeracional e intercultural, com um grande impacto social, económico e cultural no Interior do país.

Os 20 anos do evento deram ainda origem ao livro "Boom Festival 20 Years: A Visual and Oral History", que poderá ser adquirido por 60 euros. Trata-se da compilação dos testemunhos de 134 pessoas que contribuíram para a evolução do festival, assim como uma perspetiva evolutiva da história gráfica e visual de duas décadas quer de festival quer do desenvolvimento da cultura de festivais alternativos em Portugal e no mundo. São mais de 500 imagens ao longo de 356 páginas. Tem ainda um texto de enquadramento sobre rituais neo-helénicos e uma produção de imagens 3D.

Estas edições são assim o culminar das celebrações dos 20 anos do Boom Festival que passaram pela edição de 2018 do evento, assim como pela edição de autor de duas peças históricas, quer ao nível cinematográfico quer literário.

 


Publicidade
Meteorologia
Hoje
Amanhã
Noticias
Newsletter
Publicidade
Publicidade
© Diario Digital Castelo Branco 2018
Política de privacidade e cookies
Desenvolvido por citricweb.pt