Região

Alcains recebe comemorações dos 43 anos da Revolução de Abril

Cristina Valente | 2017-04-21 07:09:00

A sessão solene da Assembleia Municipal de Castelo Branco, comemorativa dos 43 anos do 25 de Abril, realiza-se este ano em Alcains. A vila é o palco principal destas comemorações programadas pela Câmara Municipal de Castelo Branco.

As comemorações começam já este sábado, dia 22, com a inauguração da exposição "É Preciso Muito Tempo Para Se Aprender a Ser Jovem". Uma exposição organizada pela autarquia albicastrense, em colaboração com o Museu Municipal Martins Correia e o Município da Golegã. Comissariada pela crítica de arte Maria João Fernandes. A exposição está estruturada em cinco áreas temáticas, que cobrem de uma forma abrangente a produção artística do Mestre e autor da estátua de João Rodrigues – Amato Lusitano, icónico ponto de referência em Castelo Branco para os albicastrenses.

No dia 24 à noite às 21 horas, realiza-se na biblioteca Municipal uma tertúlia sobre o tema, "As Estórias que abril teceu", uma iniciativa organizada pela Junta de Freguesia de Castelo Branco. Que contará com a presença e os testemunhos de Afonso Camões, António Duarte, Moisés Fernandes, João Goulão, Carlos Fernandes, Hermínio Bispo e Luís Rosa.

O dia 25 começa com o hastear da bandeira e a atuação das Bandas Filarmónicas em frente ao edifício da Câmara Municipal às 9:30. Depois já em Alcains haverá também um momento musical, frente ao Museu do Canteiro, às 9:50.

Às 10 horas começa a sessão solene, no Centro Cultural de Alcains, onde como é habitual usarão da palavra o presidente da Assembleia Municipal, o Presidente da Câmara e um representante de cada partido com assento naquele órgão autárquico.

Após a sessão solene, serão inauguradas diversas obras realizadas na vila, nomeadamente o Mercado Municipal.

Às 15 horas e a encerrar as comemorações, será apresentado na Biblioteca Municipal um livro de Manuel João Vieira, na Biblioteca Municipal de Castelo Branco.

Manuel João Vieira, foi um conhecido advogado de Castelo Branco, onde durante 15 anos, foi presidente da Ordem dos advogados da Comarca de Castelo Branco.

Para além da sua carreira profissional, Manuel João Vieira foi um antifascista, um homem de ideais e convicções que lutou pela liberdade e democracia.

Esteve ao lado de Humberto Delgado em 1958, na candidatura do General sem medo à Presidente da República.

Foi candidato a deputado à então denominada Assembleia Nacional,1969/73, pela oposição do distrito de Castelo Branco, e voltou a candidatar-se em 1973.

Já em democracia foi eleito deputado à Assembleia Constituinte em 1975, em representação do distrito de Castelo Branco e Partido Socialista.

No primeiro mandato autárquico após o 25 de Abril foi eleito Presidente da Assembleia Municipal de Castelo Branco, cargo que voltaria a desempenhar no mandato de 1997 a 2001.

Líder da bancada socialista durante dois mandatos, foi fundador da seção de Castelo Branco do Partido Socialista.

Manuel João Vieira foi ainda mandatário de Manuel Alegre, pelo distrito, na candidatura para a Presidência da República em 2006.

A distinção entregue no dia 25 de Abril, foi aprovada por maioria em reunião de câmara, após proposta dos vereadores do PSD, logo após o falecimento do homenageado.

Manuel João Vieira, morreu aos 88 anos, em Lisboa, após uma queda que lhe provocou graves lesões no dia 27 de janeiro de 2014.

Nas comemorações do 25 de abril de 2016 foi-lhe entregue a titulo póstumo a medalha de ouro da cidade.


Publicidade
Meteorologia
Hoje
Amanhã
Noticias
Newsletter
Publicidade
Publicidade
© Diario Digital Castelo Branco 2017
Desenvolvido por citricweb.pt