Automobilismo: Falta de patrocínios e prejuízos acumulados impedem rampa da Serra da Estrela em 2011, ACP

A edição de 2011 da rampa da Serra da Estrela está em risco de não se realizar por falta de patrocínios e devido aos prejuízos acumulados, disse hoje à Agência Lusa fonte do Automóvel Clube de Portugal.

  • Desporto
  • Publicado: 2010-11-29
  • Autor: Diario Digital Castelo Branco/Lusa
A edição de 2011 da rampa da Serra da Estrela está em risco de não se realizar por falta de patrocínios e devido aos prejuízos acumulados, disse hoje à Agência Lusa fonte do Automóvel Clube de Portugal.

Apesar de ser “uma prova reconhecida internacionalmente e com um razoável grupo de concorrentes estrangeiros, os apoios recebidos têm sido escassos e insuficientes para o equilíbrio financeiro”, referiu o ACP à Lusa, através da assessoria de imprensa.

O ACP, como entidade de utilidade pública sem fins lucrativos, diz não pretender “ter lucros”, mas “não pode continuar a suportar os prejuízos que tem vindo a acumular ao longo dos anos”, realçou, sem quantificar.

A prova realizada na Covilhã tem feito parte dos campeonatos nacional e europeu de montanha e tem sido patrocinada apenas pela Entidade Regional de Turismo da Serra da Estrela.

Segundo Jorge Patrão, presidente do organismo, à Agência Lusa, o orçamento apresentado pelo Automóvel Clube de Portugal (ACP) “era de 25 mil euros até 2007 e tem subido constantemente, sendo exigidos 130 mil euros para 2011”.

“Conseguimos suportar sozinhos os custos da prova até aos 100 mil euros, mas mais do que isso não pode ser e por isso não chegámos a acordo”, sublinhou.

O ACP esclareceu, por seu lado, que “o custo de cada edição é largamente superior a 25 mil euros” e que “a questão prende-se com os prejuízos acumulados ao longo das várias edições da prova”.

A situação foi hoje criticada pela Câmara da Covilhã (PSD), que, em comunicado, lamentou que “a Entidade Regional de Turismo não encontre forma de apoiar um evento que sempre defendeu como de vital importância turística para a região”.

Segundo a autarquia, que diz ter dado sempre apoio logístico à prova contabilizado em milhares de euros, “fica demonstrado o esvaziamento de importância daquela entidade na prossecução dos objectivos para que foi criada”.

As críticas são devolvidas por Jorge Patrão, que lamenta que a Câmara da Covilhã tenha deixado há vários anos de dar qualquer apoio financeiro à prova, para além da ajuda logística, no que considera ser “um caso inédito no país”.

Patrão vai mais longe e crítica a autarquia por ter optado ficar fora da Entidade Regional de Turismo, “que assim não recebe as verbas do Estado respeitantes a esse município”.

“Se houver alguma forma de apoio da câmara para além da logística, deixo a porta aberta para se renegociar a realização da Rampa”, concluiu Jorge Patrão.

Para 2011, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) já divulgou o calendário do Campeonato Europeu de Montanha, no qual surge integrada a Rampa da Falperra, em Braga, no lugar da Rampa da Serra da Estrela.

O ACP realçou à Agência Lusa que “não deixará de encarar uma hipótese de voltar a organizar a prova no futuro, desde que para o efeito sejam reunidas as necessárias condições financeiras e desportivas”.

PUB

PUB

PUB

PUB