Projetos aprovados no interior no âmbito do Portugal2020 ultrapassam 400 ME – CCDRC

A presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) afirmou que, dos 1.600 milhões de euros aprovados no âmbito do Portugal 2020 para projetos empresariais, mais de 400 milhões dizem respeito ao interior.

  • Economia
  • Publicado: 2019-02-20
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco/Lusa

A presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) afirmou que, dos 1.600 milhões de euros aprovados no âmbito do Portugal 2020 para projetos empresariais, mais de 400 milhões dizem respeito ao interior.

"Temos cerca de 1.600 milhões de euros aprovados no Portugal 2020 para projetos empresariais, sendo que 30% são no interior, mais de 400 milhões de euros até este momento", explicou Ana Abrunhosa.

A presidente da CCDRC deslocou-se a Proença-a-Nova, para visitar o parque empresarial da vila no âmbito da iniciativa Empresas no Centro, Dia Aberto".

Passados dois terços do atual quadro comunitário, a responsável da CCDRC sublinhou que já foram aprovados na região, até esta data, "tanto ou mais" do que o valor aprovado em todo o quadro comunitário anterior no que diz respeito ao apoio às empresas.

"Temos uma iniciativa que procuramos fazer todos os meses (Empresas no Centro, Dia Aberto). Começamos em Castelo Branco em Vila Velha de Ródão e aqui em Proença-a-Nova, na zona industrial que foi apoiada pelo Centro 2020", disse.

A ideia é perceber as dificuldades que as câmaras municipais enfrentam nestes territórios do interior para atrair investimento.

"O nosso objetivo é vir falar com eles [autarcas], perceber como é que podemos ajudar, conhecer as empresas, as suas dificuldades e os seus projetos de investimento. A ideia é conhecer melhor para depois, sendo a CCDRC um agente que trabalha com o Governo, ajudar a influenciar os instrumentos de política. É muito mais difícil ser empresário neste território do que em outros", frisou.

Ana Abrunhosa sublinha que os autarcas hoje são atores de competitividade e, além de continuarem a garantir as infraestruturas para as suas populações, neste momento, a sua preocupação passa por tornar o território atrativo para as empresas e captar investimento.

"Esse é o grande objetivo de todos os autarcas. Nestes territórios, onde não há mercado como no litoral, esse esforço é muito maior", sustentou.

Adiantou ainda que, no caso de Proença-a-Nova, existe um "ecossistema muito especial", referindo que em termos do Portugal 2020 "Proença-a-Nova destaca-se no interior"

PUB

PUB

PUB

PUB