Lisboa: Padre sertanense dá nome a rua do Lumiar

O Padre Manuel Antunes passou a figurar na toponímia da cidade de Lisboa, tendo-lhe sido atribuído o nome de uma rua na freguesia do Lumiar.

  • País
  • Publicado: 2018-12-27
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

O Padre Manuel Antunes passou a figurar na toponímia da cidade de Lisboa, tendo-lhe sido atribuído o nome de uma rua na freguesia do Lumiar.

A cerimónia que assinalou o descerrar da placa toponímica aconteceu no dia 19 de dezembro e contou com diversos convidados, designadamente a vereadora da Cultura e Relações Internacionais da Câmara Municipal de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, o presidente da Câmara Municipal da Sertã, José Farinha Nunes, o administrador Executivo da Fundação Calouste Gulbenkian, Guilherme d’Oliveira Martins, o presidente da Junta de Freguesia do Lumiar, Pedro Delgado Alves e o Professor José Eduardo Franco.

Segundo o comunicado a que o Diário Digital Castelo Branco teve acesso, esta é a segunda localidade do país a contar com uma artéria dedicada ao Padre Manuel Antunes, depois de a Sertã lhe ter atribuído idêntica honra há alguns anos.

A cerimónia do passado dia 19 de dezembro deu corpo a uma decisão da Câmara Municipal de Lisboa e da Junta de Freguesia do Lumiar que, em 2017, atribuíram o nome do Padre Manuel Antunes à antiga Rua I à Quinta dos Alcoutins.

“A atribuição de topónimo em homenagem ao Sacerdote Jesuíta Manuel Antunes é da maior justiça, pelo seu papel enquanto humanista, professor universitário e incansável autor multidisciplinar nas áreas da cultura, educação, filosofia, teologia, literatura e relações internacionais”, sublinhou a vereadora Catarina Vaz Pinto, que recordou “o papel apaziguador, empenhado e pró-democrático no período posterior à Revolução de 25 de Abril de 1974 [do Padre Manuel Antunes]. É por isso da maior justiça inscrever o seu nome na memória da cidade, atribuindo-a a um arruamento na freguesia do Lumiar”.

Para o presidente da Câmara Municipal da Sertã, “esta é uma justa homenagem da cidade de Lisboa a uma figura incontornável das letras e da cultura portuguesa, que nasceu há precisamente 100 anos na Sertã”.

José Farinha Nunes mostrou-se “orgulhoso” e sublinhou que “o legado do Padre Manuel Antunes continua bem vivo, como o demonstra este tipo de cerimónias”.

Esta cerimónia decorreu no âmbito das comemorações do Primeiro Centenário do Nascimento do Padre Manuel Antunes, que decorrem ao longo do ano de 2018, com encerramento previsto para o próximo mês de março de 2019.

 

PUB

PUB

PUB

PUB