Politécnico de Castelo Branco: Parceria estuda condições de mobilidade das pessoas idosas na Covilhã e na Guarda

O Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) encontra-se a desenvolver o Projeto de Investigação intitulado “Implicações dos desníveis topográficos na vida das pessoas idosas em Portugal: Estudo comparativo de cidades com e sem estruturas verticais de mobilidade urbana”, em parceria com a Universidade de Navarra (Espanha) e com o Instituto Politécnico da Guarda.

  • Região
  • Publicado: 2019-04-16
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

O Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) encontra-se a desenvolver o Projeto de Investigação intitulado “Implicações dos desníveis topográficos na vida das pessoas idosas em Portugal: Estudo comparativo de cidades com e sem estruturas verticais de mobilidade urbana”, em parceria com a Universidade de Navarra (Espanha) e com o Instituto Politécnico da Guarda.

Segundo informação a que o DDCB teve acesso, o objetivo geral é realizar um estudo sobre o impacto que as infraestruturas de mobilidade urbana vertical (rampas, escadas rolantes, elevadores ou outros equipamentos existentes nas vias públicas) têm na vida quotidiana das pessoas idosas que vivem em bairros ou ruas com grandes inclinações. Ou seja, partindo da análise dos níveis de envelhecimento, dos desníveis topográficos e da existência de infraestruturas de mobilidade urbana pretende-se perceber se a utilização destas estruturas permite às pessoas idosas utilizar o espaço público mais facilmente e aceder a serviços, e qual o impacto na sua vida.

Em Portugal o estudo vai ser desenvolvido nas cidades da Covilhã e da Guarda. Nesse sentido, decorrem entre abril e maio de 2019 as recolhas de dados em ambas as cidades, a cargo de alunos e bolseiros do Instituto Politécnico de Castelo Branco e do Instituto Politécnico da Guarda.

Para o desenvolvimento deste projeto pede-se a colaboração dos utilizadores das estruturas de mobilidade urbana vertical (elevadores, rampas, etc) na Covilhã, para o preenchimento de questionários que irão permitir verificar a intensidade da utilização das mesmas por parte das pessoas idosas e a forma como a existência e utilização destas estruturas alteraram a sua vida. Na Guarda vai também ser aplicado um questionário, no sentido de perceber as implicações que os desníveis (inclinações) da cidade têm na vida das pessoas idosas, assim como identificar as suas necessidades de mobilidade.

Estes questionários serão aplicados junto das estruturas de mobilidade urbana vertical na cidade da Covilhã. Na cidade da Guarda, serão aplicados nas ruas de bairros da cidade, onde os participantes que aceitem responder serão abordados por alunos/ bolseiros de investigação, que se apresentarão devidamente identificadas com o símbolo do IPCB.

PUB

PUB

PUB

PUB