Castelo Branco: Câmara disponibiliza aos munícipes Calculadora da Pegada Ecológica

A Câmara de Castelo Branco já tem disponível a Calculadora Municipal da Pegada Ecológica na sua página da Internet www.cm-castelobranco.pt, uma ferramenta que permite a cada cidadão perceber como os seus hábitos diários influenciam a sustentabilidade do concelho.

"A calculadora é uma ferramenta que permite a cada pessoa fazer o cálculo da sua pegada ecológica, tendo como base os dados médios do concelho e perceber o que é que a influencia. Isto é uma forma de sensibilizar e alertar as pessoas para a sua pegada ecológica, para o consumo dos recursos do planeta no seu dia-a-dia", explicou o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia.

  • Região
  • Publicado: 2019-05-16
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco/Lusa

A Câmara de Castelo Branco já tem disponível a Calculadora Municipal da Pegada Ecológica na sua página da Internet www.cm-cahttp://www.cm-castelobranco.ptstelobranco.pt, uma ferramenta que permite a cada cidadão perceber como os seus hábitos diários influenciam a sustentabilidade do concelho.

"A calculadora é uma ferramenta que permite a cada pessoa fazer o cálculo da sua pegada ecológica, tendo como base os dados médios do concelho e perceber o que é que a influencia. Isto é uma forma de sensibilizar e alertar as pessoas para a sua pegada ecológica, para o consumo dos recursos do planeta no seu dia-a-dia", explicou o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia.

A Calculadora da Pegada Ecológica foi apresentada ontem no Centro de Empresas Inovadoras (CEI) de Castelo Branco, sendo que esta ferramenta está calibrada para o concelho e está preparada para funcionar com os dados apurados através do projeto "Pegada Ecológica dos Municípios Portugueses", uma parceria estratégica entre a ZERO - Associação Sistema Terrestre Saudável, a Global Footprint Network e a Universidade de Aveiro.

Com base nos dados referentes a 2016, o concelho de Castelo Branco tem uma biocapacidade 80% superior à média nacional, sendo o valor da pegada ecológica superior em 02% a essa média.

Em 2016, o cálculo da pegada ecológica revelou que cada cidadão médio em Castelo Branco precisaria de 4,02 hectares globais de terra para suster o seu nível de consumo. Em contrapartida, do lado da biocapacidade, está disponível, em média, por cada residente do concelho de Castelo Branco, 2,31 hectares globais.

A partir de hoje vai ser criado em Castelo Branco um grupo de controlo, os embaixadores da pegada ecológica, que vão ter formação e acesso restrito à ferramenta para que os dados calculados sejam fiáveis e, daqui a um ano, irão apresentar os resultados.

O autarca de Castelo Branco quer, através desta ferramenta, sensibilizar os munícipes e concretamente os alunos dos agrupamentos de escola do concelho para esta realidade.

"Precisamos, sobretudo, de influenciar as pessoas para a sustentabilidade do nosso território e para a sustentabilidade do planeta. É muito importante fazer este caminho", disse.

Adiantou ainda que o município de Castelo Branco tem feito várias apostas ambientais e tem procurado, de uma forma sustentada e estruturada, fazer um caminho de sensibilização das pessoas.

Castelo Branco integra, com Almada, Bragança, Guimarães, Lagoa e Vila Nova de Gaia, o grupo de seis municípios pioneiros do projeto "Pegada Ecológica dos Municípios Portugueses".

A Pegada Ecológica é uma metodologia reconhecida internacionalmente e desenvolvida pela Global Footprint Network que permite medir o impacto das atividades das pessoas de consumo nos recursos naturais do planeta.

PUB

PUB

PUB

PUB