BE diz que alterações na Consulta Aberta do Fundão provocam problemas

O Bloco de Esquerda (BE) disse hoje estar preocupado com a mudança da consulta aberta do Fundão do Hospital para o Centro de Saúde local, por considerar que isso provoca problemas, nomeadamente com os exames de raio X e análises clínicas.

  • Região
  • Publicado: 2019-01-12
  • Autor: Jornal

O Bloco de Esquerda (BE) disse hoje estar preocupado com a mudança da consulta aberta do Fundão do Hospital para o Centro de Saúde local, por considerar que isso provoca problemas, nomeadamente com os exames de raio X e análises clínicas.

Em nota de imprensa hoje enviada à agência Lusa, o Núcleo Concelhio do Fundão do BE manifesta "preocupação e desagrado" por, no início do ano, a consulta aberta ter sido transferida para as instalações do Centro de Saúde do Fundão, situadas a 240 metros e a cinco minutos a pé do local onde funcionava, para dar início as obras que visam acolher a futura Unidade de Medicina Nuclear.

Para o BE, a mudança agrava o difícil acesso aos cuidados de saúde da população deste município do distrito de Castelo Branco e origina problemas ao nível da realização de exames de raio X e de análises clínicas urgentes.

"A Coordenação da Administração Regional de Saúde informou aos médicos clínicos gerais que fazem consulta aberta que, a partir de agora, já não há raio X, e que esses pedidos têm que ser dirigidos para o Hospital Pêro da Covilhã, na cidade da Covilhã", diz o BE.

Outra das situações relatadas é a de que "as análises clínicas urgentes não são realizadas no Hospital do Fundão, existindo em funções um laboratório para o efeito, sendo estes serviços reencaminhados também para o Hospital Pêro da Covilhã".

O BE diz que um dos argumentos é o de que o Hospital da Covilhã está muito perto do Fundão e que por isso não há necessidade de dois serviços de urgência ou SAP (Serviço de Atendimento Permanente), fundamentação com a qual discorda.

Os bloquistas frisam que, "na verdade, estes serviços no Hospital do Fundão servem para escoar o fluxo de utentes que enchem a urgência da Covilhã, uma urgência com várias deficiências e completamente sobrelotada".

A existência de "algumas reclamações de alguns médicos que se queixam de não ter condições para fazer uma consulta decente no novo espaço improvisado" é também denunciada neste comunicado.

O BE refere ainda que "a maioria da população do concelho do Fundão é bastante envelhecida e sem grandes recursos económicos", e salienta que existem localidades a 45 quilómetros de distância da capital do concelho, como, por exemplo, a União de Freguesias de Janeiro de Cima e Bogas de Baixo.

"A área do concelho do Fundão é extensa - com 700 quilómetros quadrados e com 29.000 habitantes - e é claramente necessário um serviço de urgência e consulta aberta digno e eficaz", acrescenta o BE, prometendo manter a luta por um acesso pleno aos cuidados de saúde.

PUB

PUB

PUB

PUB