Covilhã volta a ser palco do Ciclo de Teatro Universitário

A Covilhã vai ser palco da 23.ª edição do Ciclo de Teatro Universitário, que se realiza de 14 a 23 de março, com dez apresentações e sete grupos de Portugal e Espanha, anunciou hoje a organização.

  • Cultura
  • Publicado: 2019-03-09
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco/Lusa

A Covilhã vai ser palco da 23.ª edição do Ciclo de Teatro Universitário, que se realiza de 14 a 23 de março, com dez apresentações e sete grupos de Portugal e Espanha, anunciou hoje a organização.

Promovido em parceria pelo TeatrUBI - Grupo de Teatro da Universidade da Beira Interior e pela ASTA - Associação de Teatro e Outras Artes, este evento destaca-se por ser o mais antigo festival de teatro universitário do país, pretendendo contribuir para a formação de públicos e para aumentar a oferta cultural na região e em particular neste concelho do distrito de Castelo Branco.

Com espetáculos diários ao longo dos nove dias, esta edição volta a contar com "um programa diversificado e bastante abrangente", que engloba diferentes temas e estilos, uns mais clássicos, outros mais contemporâneos.

"São espetáculos de grupos e companhias completamente diferentes, pelo que uns poderão ter uma intervenção mais política, outros mais de comédia social. Temos, por exemplo, um espetáculo que aborda as questões da valorização da mulher desde o século XIII até ao século XIX", apontou o diretor do festival, Rui Pires.

O ciclo arranca no dia 14, com a estreia de "Cântico Negro", peça produzida pelas duas companhias anfitriãs.

"Trata-se de um espetáculo que começámos a trabalhar em outubro, que terá cinco atores em palco. É um espetáculo que trata da vida nos seus aspetos mais gerais, das incertezas, das dúvidas, dos medos e das questões de quem somos e para onde vamos", especificou Rui Pires.

Segundo acrescentou, esta peça também tem uma forte componente visual e permite várias explorações ao nível da interpretação da temática, sendo que também sobe ao palco nos dias 15 e 16.

No dia 18, será apresentada a peça "Implosiones, drogas, pasma Y otras cosas de las que preocuparse", que é interpretada por Maricastanaña - Aula de Teatro da Universidade de Vigo.

No dia 19, a companhia espanhola de Madrid Arte 4 - Estúdios de Atores apresenta "La Muestra Final".

"Isto é um Cachimbo", pela Fc-Acto da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, é a peça que sobe ao palco no dia 20.

Um dia depois, é apresentada a peça "Um nome provisório", por Noster - Grupo de Teatro da Universidade Católica Portuguesa.

"GARNATIA" do Grupo de Teatro e Dança da Universidade de Granada é a produção agendada para dia 22.

A encerrar o certame, no dia 23, está em cena a peça "A Mulher que Tiña Medo e Marchou Vivir ao Carrefour", do Grupo de Teatro da Universidade de Santiago de Compostela.

Além dos espetáculos, o programa também integra um jantar que assinalará os 30 anos do TeatrUBI e que reunirá antigos elementos deste grupo.

Este ano, o festival conta com um orçamento de 19.500 euros e inclui uma parceria com o curso de Ciências da Cultura, numa componente de formação académica cuja importância foi salientada pelo diretor artístico da ASTA, Sérgio Novo.

As apresentações decorrem no auditório das sessões solenes da UBI, às 21:30 (dia 16 é às 19:00), sendo que haverá estacionamento é gratuito no parque do polo principal da UBI.

O bilhete diário custa cinco euros com desconto de 50% para sócios da ASTA e do TeatrUbi ou portadores de cartão de estudante e do cartão +65. Já os portadores do cartão "Amigo da ASTA" têm entrada livre.

PUB

PUB

PUB

PUB