Castelo Branco recebe exposição itinerante da Gulbenkian até 28 de julho

O Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco (CCCCB) tem expostas obras de arte da Fundação Calouste Gulbenkian, no âmbito de um projeto de itinerância que privilegia as regiões mais distantes dos principais centros culturais.

  • Cultura
  • Publicado: 2019-04-09
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

O Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco (CCCCB) tem expostas obras de arte da Fundação Calouste Gulbenkian, no âmbito de um projeto de itinerância que privilegia as regiões mais distantes dos principais centros culturais.

O projeto "Gulbenkian Itinerante" procura, através de parcerias com instituições nacionais, divulgar as coleções do Museu Calouste Gulbenkian, privilegiando as regiões mais distantes dos principais centros culturais.

Esta parceria, que inclui o CCCCB, obedece a um modelo dinâmico, desenvolvido em prol do desenvolvimento cultural, tanto regional como nacional, e pretende contribuir para combater as assimetrias que permanecem no nosso território.

À agência Lusa, o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia, explica que a presença do projeto "Gulbenkian Itinerante" no CCCCB, é mais um "passo importante" no caminho cultural que o município tem trilhado.

"É mais uma exposição no CCCCB. Todos temos consciência de que o CCCCB é uma infraestrutura que está ao serviço, não só da cultura, mas também da economia e do turismo", afirmou.

O autarca realça esta parceria e a ligação de Castelo Branco com a Fundação Calouste Gulbenkian, "uma instituição muito importante no país e a nível internacional".

"É uma aposta que temos feito e que queremos concretizar, conscientes do caminho que queremos fazer na cultura", frisou.

Luís Correia recordou ainda a capacidade de Castelo Branco em estabelecer pontes e adiantou que o tem conseguido fazer com outras instituições, comunidades e pessoas, até a nível individual, através da cultura.

"É importante aprender com os outros e ter a humildade de aprender com quem já sabe e tem um caminho reconhecido a este nível [cultural]", concluiu.

José de Almada Negreiros, Paula Rego, Alberto Carneiro, Ana Vidigal, António Areal, Antony Gormley, Costa Pinheiro, Helena Almeida, João Queiroz, Lourdes Castro, Manuel Botelho, Mário Eloy, Menez, Miguel Palma, Rui Chafes, Stanislas Lépine e Thomas Weinberger são alguns dos artistas da Coleção Moderna que estão representados na exposição.

Através do "Gulbenkian Itinerante" é dada a possibilidade aos parceiros de escolher obras dos acervos das duas coleções do Museu Calouste Gulbenkian, com especial enfoque nas peças menos conhecidas ou em obras de autores que merecem ser reencontrados ou, mesmo, redescobertos.

Bragança, Sabrosa, Portimão e Sines (decorre até 09 de junho) já receberam estas exposições itinerantes, que ainda irão passar por Tavira (inaugura a 23 de novembro).

PUB

PUB

PUB

PUB