Governo quer portugueses empenhados na promoção da qualidade do ar

O secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde das Neves, apela ao empenho dos autarcas e portugueses em geral na promoção da qualidade do ar.

  • País
  • Publicado: 2019-06-05
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco/Lusa

O secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde das Neves, apela ao empenho dos autarcas e portugueses em geral na promoção da qualidade do ar.

“É com todos os autarcas que temos de trabalhar nesse sentido”, disse, na vila da Pampilhosa da Serra, onde presidiu ao encerramento de uma sessão pública sobre boas práticas para a promoção da qualidade do ar.

Para João Ataíde das Neves, “quando se fala de ambiente e qualidade do ar, não há fronteiras”, sendo este “um dos principais problemas ambientais na Europa”.

Ao saudar o presidente da Câmara Municipal da Pampilhosa da Serra, o social-democrata José Brito Dias, o secretário de Estado realçou que este município montanhoso do interior do distrito de Coimbra “é uma terra bonita e de bons ares”.

“É preciso começarmos já, individualmente e em parceria”, a adotar “comportamentos e estilos de vida” que contribuam para a melhoria da qualidade do ar, em especial nas áreas urbanas e industrializadas”, defendeu.

Citando o secretário-geral das Nações Unidas, o português António Guterres, João Ataíde das Neves afirmou que o Dia Mundial do Ambiente, que se comemora na quarta-feira, “tem de ser todos os dias”.

Este ano, o Dia do Ambiente tem por tema a poluição do ar.

Iniciativa conjunta da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), a sessão de hoje incluiu a apresentação por Ana Teresa Peres, da APA, da campanha intitulada “Por um país com bom ar”.

No final dos trabalhos, o presidente da APA, Nuno Lacasta, referiu-se aos incêndios florestais que afetaram a Pampilhosa da Serra e dezenas de outros concelhos da região Centro, em 2017, afirmando que “a natureza está a recuperar, mas a mão humana trabalhou nesse sentido”, nos últimos dois anos.

O responsável disse que a campanha pela qualidade do ar em Portugal, lançada em abril, exige a participação de diferentes parceiros, sobretudo autarquias, sublinhando que essa iniciativa “veio para ficar”.

Também o autarca José Brito Dias realçou que importa “promover a qualidade do ar”.

“Todos estamos preocupados com o futuro. Temos de começar a trabalhar ou, pelo menos, a continuar”, referiu.

O programa incluiu a assinatura de protocolos de colaboração entre a APA e 22 entidades: câmaras municipais de Oliveira do Hospital, Figueira da Foz, Arganil, Mortágua, Tábua, Penacova, Castelo Branco, Penela, Pampilhosa da Serra, Lousã, Tondela, Mira, Castanheira de Pera, Ílhavo, Coimbra, Oleiros, Fundão, Sertã e Gouveia, a Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão, o Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro e o Instituto Politécnico de Coimbra.

Coube ao vice-presidente da CCDRC António Veiga Simão fazer uma apresentação sobre a qualidade do ar na região Centro.

PUB

PUB

PUB

PUB