Sinfónica e Barroca levam Verão da Casa da Música a Castelo Branco dia 10 de Julho

As orquestras Sinfónica e Barroca da Casa da Música, no Porto, vão estar em digressão até setembro pelo espaço público de várias cidades do país, constituindo o principal destaque do programa “Verão da Casa”.

  • Cultura
  • Publicado: 2019-07-03
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

As orquestras Sinfónica e Barroca da Casa da Música, no Porto, vão estar em digressão até setembro pelo espaço público de várias cidades do país, constituindo o principal destaque do programa “Verão da Casa”.

Ao todo, são nove os concertos em locais “escolhidos especificamente pelo seu valor patrimonial”, sempre “em património urbano e de entrada livre”, anunciou o diretor artístico da Casa da Música, António Jorge Pacheco.

O ciclo arranca em Lisboa, a 13 de julho, na Praça do Município, com uma atuação da Orquestra Sinfónica da Casa da Música, seguindo-se depois atuações em setembro, no dia 05, em Évora, na Praça do Giraldo, e na Avenida dos Aliados, no dia 07.

Na véspera, 06 de setembro, é a vez de a Barroca atuar na principal artéria do Porto, seguindo-se Mafra, a 07, e, no dia 08, concertos das duas formações, em Faro (Barroca) e em Braga (Sinfónica).

A Barroca prossegue o ciclo, no dia 10, em Castelo Branco, e encerra-o no dia 11, em Viana do Castelo, com o último de seis concertos, sob a direção do russo Dmitry Sinkovsky, violinista e contratenor, que Pacheco descreveu como “um artista único”.

Na opinião do diretor artístico, o programa “Orquestra no Património”, que já tem nova edição garantida em 2020, vai mudar “a forma como a Casa da Música é vista em todo o território nacional”, reforçando que este trabalho envolve “uma logística brutal” e um orçamento “de mais de 500 mil euros”, através da parceria com a Fundação La Caixa.

Além dos concertos ao ar livre, e de “cada vez mais momentos fora” da instituição, o que motivou a mudança do nome, de “Verão na Casa” para “Verão da Casa”, o ciclo “Portugal A Gosto” programa concertos diários de artistas portugueses, com entrada gratuita, dedicado “ao fado e à guitarra portuguesa”.

O espetáculo “Sonópolis”, de teatro musical, assinala o fim do ano letivo do Serviço Educativo, com “mais de 100 pessoas em palco”.

Regressam também ciclos habituais, como os concertos na Maia e em Matosinhos, numa “missão de democratizar o acesso à música clássica”.

A 20 de julho, é a vez da Maia, com a estreia de Diogo Costa à frente da Sinfónica, seguindo-se dois concertos em Matosinhos, do agrupamento residente, com Avishai Cohen, e da Orquestra Jazz de Matosinhos e Faye Claasen, a 26 e 27 de julho, depois de, em 2018, a iniciativa ter atraído “mais de 20 mil pessoas”.

Outras 'marcas' da programação até setembro passam pelos concertos na esplanada, com nomes como Aleh Ferreira, LaBaq, Rozalén ou Wu Tiao Renas, a que se juntam atuações de grupos escolares e o Encontro de Bandas Filarmónicas.

Os concertos do Verão da Casa arrancam hoje com Tony Allen e Jeff Mills, e a final do Prémio Internacional Suggia, no sábado.

PUB

PUB

PUB

PUB