Proença-a-Nova: Intervenção artística “Guardiã da Água” integra Roteiro das Artes

A “Guardiã da Água” é a mais recente obra a integrar o Roteiro das Artes em Proença-a-Nova. A instalação artística, da autoria de Yola Vale, foi inaugurada no sábado passado, dia 19 de outubro, juntamente com a requalificação da Fonte das Três Bicas, dois espaços que se unem no mesmo.

 

 

  • Região
  • Publicado: 2019-10-23
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

A “Guardiã da Água” é a mais recente obra a integrar o Roteiro das Artes em Proença-a-Nova. A instalação artística, da autoria de Yola Vale, foi inaugurada no sábado passado, dia 19 de outubro, juntamente com a requalificação da Fonte das Três Bicas, dois espaços que se unem no mesmo.

“Um espaço público arranjado e cuidado eleva a autoestima dos residentes e cria condições diferenciadas para quem nos visita. A Fonte das Três Bicas, que já teve outra arquitetura, traz recordações para muitos que aqui viveram e ainda vivem. O objetivo da intervenção foi elevá-la para que seja visível e a zona de estadia convida a que seja usufruída por todos, turistas e residentes”, afirma em comunicado João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova.

A intervenção na fonte luminosa, um ícone da vila há 20 anos onde agora nasceu a obra escultórica “A Guardiã da Água”, contribui para a valorização desta zona da vila. “Mantendo a sua função anterior, como peça de arte que é acrescenta mais um capítulo de evolução na nossa história comum”, concluiu o autarca.

Inspirada no elemento água, Yola Vale refletiu nesta obra sobre a sustentabilidade e o ambiente, “sobretudo numa época em que as alterações climáticas resultam em períodos de seca cada vez maiores, celebrando assim este recurso de elevada importância”, revela. Composta por mais de 2000 módulos cerâmicos, a sua forma tridimensional remete-nos para “um imaginário aquático, capaz de transmitir a beleza da água, tanto na sua tranquilidade como na sua agitação. Estes momentos, de serenidade e turbulência, são potenciados pelo contraste cromático das peças”, acrescenta a artista que escolheu Proença-a-Nova para viver e trabalhar, pois transmitem “movimento, quebram a monotonia e criam dinamismo e alternância, remetendo para o oceano”. A escultura é de uma ninfa da Mitologia Grega, de nome Aretusa, protetora das fontes e da água, simbolizando “a união da natureza, do ser humano e do divino, pois desde sempre o Homem teve necessidade de acreditar em algo superior, algo que a ciência não explica, algo que o proteja dos males terrenos”.

Esta é a segunda obra pública de Yola Vale depois da intervenção nas Escadinhas do Duque, outro ponto que integra o Roteiro das Artes que inclui ainda o Monumento à Cidadania, de Ana Mena, no Parque Urbano, as esculturas de Carlos Farinha, no Largo da Devesa, e os murais de Cavalheiro Cardoso e Silvia Mathys “Uma Janela para o Território” em Proença-a-Nova, Sobreira Formosa e São Pedro do Esteval.

PUB

PUB

PUB

PUB