Júlia Pinheiro deixou de pintar as unhas e já arranjou uma alternativa ao verniz

Numa altura em o verniz gel faz tanto sucesso entre o universo feminino devido às infindáveis opções de cores e, essencialmente, pela longa durabilidade e brilho, há quem opte por manter as unhas naturais. É o caso de Júlia Pinheiro, que durante a sua longa carreira televisiva já experimentou "um leque inteiro das possibilidades estéticas", decidiu esquecer o verniz.

  • País
  • Publicado: 2019-11-30
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

Numa altura em o verniz gel faz tanto sucesso entre o universo feminino devido às infindáveis opções de cores e, essencialmente, pela longa durabilidade e brilho, há quem opte por manter as unhas naturais. É o caso de Júlia Pinheiro, que durante a sua longa carreira televisiva já experimentou "um leque inteiro das possibilidades estéticas", decidiu esquecer o verniz.

Num pequeno texto no seu site, a apresentadora explicou as razões que a levaram a deixar de pintar as unhas. "Deixei de arranjar as mãos. E então? Estão cuidadas, não me esqueço do creme. Simplesmente esqueci o verniz. Anos de uso enfraqueceram a queratina e as minhas unhas tornaram-se mais quebradiças, mais desidratadas. E para quem está já a fazer a lista de vernizes e técnicas para me aconselhar, agradeço, mas tenho a dizer-vos que nesta longa carreira televisiva já terei experimentado o leque inteiro das possibilidades estéticas", começou por escrever.

Mas Júlia Pinheiro já parece ter encontrado um ótima alternativa ao verniz. "Não há milagres para as mãos que estão sempre a mexer em tachos, água e afazeres culinários. No meio da dificuldade, restou-me encontrar aqui a oportunidade, como diria Einstein. Sempre gostei de cachuchos, aqueles anéis grandes que enchem o olho. E os dedos. E tenho reparado nas mãos desta juventude que circula nos corredores da SIC. A Patanisca (elemento da produção Júlia) é só um exemplo. Digamos, uma inspiração. Há dias, quando a vi com tantos anéis quanto os dedos, tomei a decisão e chamei a minha stylist. Tem a certeza, perguntou-me. Pela minha expressão, nem precisou de ouvir a resposta. Quando voltou a entrar pela camarim, já vinha de cachuchos e um arsenal de bijuterias lindas da Pedra Dura. Não faltam anéis elegantes para compensar o que antes já foi manicura com vermelho ou rosa. Deixei de arranjar as mãos. E então?", rematou.

PUB

PUB

PUB

PUB