Penamacor expõe Gentes da Beira no Museu Municipal

O Museu Municipal de Penamacor recebe, entre fevereiro e março, a exposição de fotografia “Gentes da Beira”, da autoria de António Supico. A obra apresentada sugere uma viagem ao quotidiano das “Gentes da Beira”, facilmente esquecida e que o olhar apressado e fugidio dos Homens do século XXI muitas vezes não permite ver.

  • Cultura
  • Publicado: 2020-02-08
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

António José Nunes Supico nasceu em 1954, no Fundão, onde passou a infância e iniciou os estudos. Em 1971 conclui o Curso de Formação Electromecânico na Escola Preparatória do Fundão, atual Escola Secundária do Fundão. Em 1974 completa o Curso de Habilitação Complementar aos Institutos Industriais na Escola Campos Melo na Covilhã e, em seguida, frequenta o Instituto Politécnico da Covilhã atual Universidade da Beira Interior. Em 1976 envereda pela carreira do ensino. Atualmente exerce a sua atividade docente na Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Serra da Gardunha – Fundão, como professor de Educação Visual e Tecnológica. Como professor, procurou desde sempre, associar às atividades pedagógicas, os trabalhos ligados às artes e ao reconhecimento e valorização da cultura da comunidade em que se insere. A partir de 1991 e até à presente data tem publicado regularmente livros escolares vocacionados para a sua área. Desde sempre, dedicou algum do seu tempo livre ao teatro (como ator e na construção de cenários), à rádio, à música, ao vídeo, às artes manuais e à fotografia, procurando, nas escolas onde tem lecionado, dinamizar clubes e ateliês relacionados com as referidas áreas. O interesse pelos costumes e tradições do povo da Beira Interior levam-no a eleger a fotografia como primordial forma de transmissão plástica dos valores a que estreitamente se vincula. Nas últimas décadas, tem recolhido um vasto património fotográfico, extensivo a todas as 

freguesias do concelho e particularmente ao Fundão. Os seus trabalhos foram apresentados em 

diversas exposições de fotografia (individuais e/ou coletivas) e desenvolveu atividades de formação 

na qualidade de formando e também como formador, nesta área. Colaborou ainda, como sócio fundador, na criação da ESTE – Estação Teatral, mantendo até à presente data, uma estreita ligação com esta companhia de teatro. Para além de algumas pequenas participações em palco, tem desenvolvido um contínuo registo fotográfico de todas as suas produções. Num ato de partilha do gosto pelo saber popular e pela tradição musical etnográfica, fez nascer, com outros, a Ocaia – Associação de Artes e Saberes Tradicionais e o Homem do Saco – Associação de Artes Tradicionais e faz parte dos grupos musicais “Anafaia”, “Bordões da Beira” e “Antígona Ensemble”, como percussionista dos mesmos. Em 2012 expôs na galeria do Parlamento Europeu, em Bruxelas, o seu trabalho – “Gentes da Beira”. Expôs nas galerias da Moagem – Cidade do Engenho e das Artes no Fundão, sua terra natal, e apresenta também o seu livro de fotografia “Gentes da Beira”, que inclui o CD com a obra musical “Suite Fotográfica composta pelo Maestro Luís Cipriano. A obra musical do maestro é composta por dez andamentos inspirados em dez fotografias da exposição, que ele próprio escolheu. Expõe também em vários concelhos do país.

PUB

PUB

PUB