Adolfo Mesquita Nunes demite-se de vice-presidente do CDS-PP

O vice-presidente do CDS-PP Adolfo Mesquita Nunes demitiu-se da direção nacional, mas vai manter-se na coordenação do grupo de trabalho para fazer o programa eleitoral do partido, afirmou à Lusa fonte centrista. 

  • País
  • Publicado: 2019-03-19
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco/Lusa

O vice-presidente do CDS-PP Adolfo Mesquita Nunes demitiu-se da direção nacional, mas vai manter-se na coordenação do grupo de trabalho para fazer o programa eleitoral do partido, afirmou à Lusa fonte centrista.

A notícia da demissão foi avançada hoje pela edição ‘on-line’ do Expresso, que explica a decisão com o facto de Mesquita Nunes ter aceitado um cargo de administrador não executivo na Galp.

Apesar da saída, em abril, o ex-secretário de Estado do Turismo, no anterior Governo PSD/CDS, vai continuar a coordenar o trabalho para elaborar o programa eleitoral que o partido levará às legislativas de outubro, segundo uma fonte do partido.

O Expresso cita a carta de demissão do agora ex-vice-presidente em que este justifica a decisão como uma opção pela carreira profissional, em detrimento da atividade política.

Em declarações ao jornal, a líder do CDS, Assunção Cristas, afirmou já lamentar mas compreender a saída do seu 'vice' e sublinhou que não se trata de uma incompatibilidade, mas sim de uma opção pessoal.

Na carta, citada pelo semanário, Mesquita Nunes, 41 anos, alega que a nova função na Galp lhe retirará tempo e disponibilidade para desempenhar o cargo na direção nacional dos centristas.

“É uma atitude que reflete a forma como sempre estive na política”, segundo explicou Mesquita Nunes, que era vice-presidente do partido desde 2016.

Adolfo Mesquita Nunes é também vereador, eleito pelo CDS com 15,1% dos votos, na Câmara Municipal da Covilhã, distrito de Castelo Branco, de onde é natural.

PUB

PUB

PUB

PUB