Idanha-a-Velha inspirou-se no Rei Wamba para divulgar sabores e património

A Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha, concelho de Idanha-a-Nova, viveu três dias de festa e animação cultural com o evento "Nas terras do Rei Wamba…há Pão!", inspirado na história de Wamba, lavrador de condição que um milagre tornou rei dos Visigodos.

  • Cultura
  • Publicado: 2019-11-04
  • Autor: Diário Digital Castelo Branco

A Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha, concelho de Idanha-a-Nova, viveu três dias de festa e animação cultural com o evento "Nas terras do Rei Wamba…há Pão!", inspirado na história de Wamba, lavrador de condição que um milagre tornou rei dos Visigodos.

De 1 a 3 de novembro, não faltaram razões para visitar esta aldeia que é um autêntico museu ao ar livre: música, teatro, cinema, gastronomia, palestras, oficinas, visitas temáticas e atividades para crianças.

No decurso do "Nas terras do Rei Wamba…há Pão!", o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova lembra “é a riqueza de Idanha-a-Velha, de uma singular relevância por resultar de dois mil anos de história e da permanência de diversas civilizações, que alimenta as histórias que contamos durante estes três dias, mas também ao longo de todo o ano”.

Armindo Jacinto afirma em comunicado que “O nosso objetivo é criar riqueza e emprego com a valorização do nosso património natural e histórico-cultural, potenciando-o através da nossa estratégia de Bio-Região e de Território UNESCO. Com a oferta destes programas culturais, conseguimos promover esse mesmo património, qualificar os nossos destinos e aumentar a visitação, em parceria com a Rede das Aldeias Históricas de Portugal”, acrescenta o autarca.

Nestes três dias, entre os principais momentos estiveram o lançamento da 2ª edição do livro “Sabores de uma Época, Tradições de uma Terra”, da autoria de Josefina Pissarra e vencedor do prémio para melhor livro de gastronomia português em 2018; a confeção de pão regional (o famoso Casqueiro) e de bolos no Forno Comunitário de Idanha-a-Velha; a apresentação da peça “A Refeição” pela Ajidanha; o concerto do grupo Azul Espiga; o Pátio dos Sabores e o Mercado Artesanal; as oficinas para os mais novos; e as experiências gastronómicas dinamizados por talentos do território e convidados como a artista e 'food activist' Tainá Guedes.

O evento inseriu-se no ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa”, promovido pela Rede das Aldeias Históricas de Portugal, e foi organizado pelo Município de Idanha-a-Nova e pela União de Freguesias de Monsanto e Idanha-a-Velha, cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

PUB

PUB

PUB

PUB